• Porquê guardar as células estaminais?

          Assim que soube que estava à espera de bebé, fiz uma lista de …

  • Baby boy – como soubemos que íamos ser pais de um rapaz

    É verdade!!! It’s a boy . Confesso que tivemos esta notícia quando eu ainda estava …

  • BABY BOY or BABY GIRL ?

    CRÉDITOS: Edição e Vídeo: Bernardo Bogarim / @bernardobogarim Hair&MakeUp: Hugo Marques / @…

  • Gravidez – Enjoos, desejos, cheiros e intolerâncias

    Este artigo já vem tarde, apesar de quanto mais semanas de gravidez passam, mais completo …

  • Gravidez – Enjoos, desejos, cheiros e intolerâncias

    Este artigo já vem tarde, apesar de quanto mais semanas de gravidez passam, mais completo se torna, pelo que é sempre atual.

    O estado de graça no qual se encontra o nosso corpo durante nove meses, para se materializar num bebé perfeito é realmente digno de estudo em todas as alterações que traz ao nosso corpo e o mais extraordinário é que por mais padrões e generalidades que se encontrem sobre o tema, cada mulher é única e vive uma experiência muito própria que em nada ou muito pouco terá a ver com a do lado.

    Tive muita sorte, até agora, com esta gravidez. Sinto-me bem, com energia (a possível) sem nenhum percalço ou situação de desconforto maior e sob o ponto de vista clínico não podia estar a correr melhor. Sei que há muitas mulheres que têm experiências más durante a gravidez e dentro do meu quadro, sinto-me de facto abençoada.

    Contei-vos aqui como foram os sintomas que tive antes de descobrir que estava à espera de bebé. Entretanto confirmaram-se as suspeitas e uma série de outras características se revelaram logo.

    Lembro-me de nas primeiras semanas acusar de imediato a questão dos cheiros, é engraçado que sempre me afetou muito esta questão, mas na gravidez ficou de tal forma exagerado que alguns dos cheiros que mais gostava tornaram-se demasiado enjoativos para conviver com eles diariamente.

    Tinha comprado um ambientador há pouco tempo que tinha estrategicamente colocado no corredor de casa, um cheiro que tinha adorado – flor de algodão (que por sinal até é bastante neutro) e estava muito orgulhosa do cheiro que emanava pela casa. Logo nas primeiras semanas de gravidez comecei a notar um enjoo associado a um cheiro específico. Como gostava tanto do ambientador nunca pensei que pudesse ser isso, mas todas as manhãs quando saia do quarto e passava na zona onde estava ficava com umas náuseas insuportáveis.  Ao fim de alguns dias mudei-o para uma casa de banho que uso pouco e percebi que de facto era isso que me estava a incomodar. Juro que sempre achei que isto de enjoar cheiros que se gosta era mito, mas a verdade é que aconteceu comigo, por isso confere!

    Ainda sobre este tema descobri nestes meses de gravidez que existe todo um universo de cheiros, que desconhecia, no frigorifico. Ainda hoje abrir o frigorifico, sobretudo de manhã, é muito doloroso para mim. Tudo tem cheiro e um cheiro tão intenso que não compreendo como me passou uma vida inteira ao lado.

    Dos cheiros seguimos para os enjoos. Sabem aquela expressão que passamos uma vida inteira a ouvir “enjoos matinais são sinónimo de possível gravidez”? Ora bem, acrescentem a essa expressão, enjoos noturnos também.

    É isso mesmo que leram, fartei-me de ter enjoos, numa base bastante tolerante, confesso, mas com direito a vomitar umas vezes, mas todos se manifestaram à noite. Um fenómeno, que já percebi em conversa, atinge algumas mulheres. É engraçado porque eram quase sempre à mesma hora, por volta das 23h/24h. já deitada na cama, ainda acordada vinha-me um enjoo louco e como queria evitar vomitar (detesto a sensação de vomitar) ia muito concentrada até à casa de banho sentava-me fixando um ponto e fazendo um esforço enorme para não vomitar (não fui sempre vitoriosa nesta tarefa confesso..). A pouco e pouco o enjoo passava e o que eu fazia sempre era ir à cozinha comer um quadradinho de chocolate, que vá-se lá saber porquê era o suficiente para me deixar bem e sem mais enjoos nesse momento. Isto repetiu-se diariamente desde o primeiro mês de gravidez e ficando mais esporádico no segundo trimestre mas ainda com alguns episódios. Às vezes durante o dia, no primeiro trimestre também tive alguns enjoos e uma amiga minha deu-me uma dica ótima, comer gomas (vá uma goma) que isso atenuava o enjoo, a verdade é que esse truque também resultava (não, não tenho diabetes gestacional, Graças a Deus! Ahaha).

    Os desejos era outra coisa que eu dizia que era definitivamente um mito. Agora tenho dúvidas, confesso. Sempre achei que os desejos eram as mulheres à espera de bebé a justificarem-se para comer determinadas coisas, neste momento o assunto não está claro para mim, mas confesso que estou mais crente.

    O meu maior desejo durante a gravidez inteira foi chocolate e confesso que comi bastante à vontade, era sempre em quantidades muito reduzidas, um/dois quadradinhos, mas deixei-me levar. E à medida que a gravidez avança, confesso que um ou dois quadradinhos já não me chegam! Acho que abdicava de todas as comidas na gravidez, menos do chocolate, de preferência de leite e branco, toquei poucas vezes no preto (eu sei.. logo o mais saudável). Ultimamente o chocolate ganhou várias formas, não só a tablete mas o bolo de chocolate e uma receita em concreto que fica bolo de chocolate na caneca que fica meio cru tem dado cabo de mim. Vou partilhar a receita convosco soon, mas desresponsabilizo-me das consequências, ahaha.

    Gelados foi outra das coisas que me soube muito bem e me apeteceu muito durante estes meses todos, embora tenha feito um verdadeiro esforço para moderar o consumo.. teve de ser para isto não descambar. E agora as coisas saudáveis, sopas! Apeteceu-me (e sabe-me mesmo bem) comer sopa durante toda a gravidez e assim aquela que mais me apetece é o gaspacho (já o é quando não estou à espera de bebé.. ahaha, agora só intensificou a vontade.)

    No que diz respeito às intolerâncias alimentares houve uma tão explícita que me deixou completamente surpreendida. Alface. Desde o dia zero que não consegui voltar a comer alface, vegetais crus no geral confesso que não me apetecia nada (o que é ótimo dado ser uma das grandes proibições da gravidez) mas a alface foi assim uma coisa de loucos! Só de olhar para alface ficava com vómitos. E eu que sempre adorei e me alimentei muito à base de saladas, enfim.. vá-se lá entender. Recentemente em casa de uma amiga minha voltei a tentar comer uma salada e soube-me tão mal novamente que vou deixar de insistir até este bebé vir cá para fora.

    Acho que apesar de tudo até tive alguma sorte, as doses  de todas estas questões foram bastante moderadas e permitiram-me fazer uma vida muito normal, vamos ver se será assim até ao fim. Quanto a vocês? Muitos enjoos? Desejos são mitos ou uma verdade absoluta? Qual o desejo mais esquisito que tiveram? Como lidaram com isso?

    Contem-me tudo nos comentários!

    Deixe uma resposta

    O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *